terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Carnaval 2018 na Assefaz - Porto das Dunas


Neste Carnaval, tive novamente a oportunidade de prestar serviços a Assefaz no Porto das Dunas. Dos quatro dias de folia, tivemos dois dias tranquilos (sábado e segunda) e dois dias agitados (domingo e terça), felizmente eles se intercalaram.

No sábado foi o esquenta, com poucos hóspedes e alguns visitantes. O DJ praticamente dançou sozinho. No domingo o salão bombou. Foi servido feijoada além do cardápio e teve muita animação com Silvano Vale e Banda.

Na segunda, passamos a manhã sem energia e debaixo de muita chuva. À tarde foi movimentada com a banda animando os foliões, que tinham opção de panelada no cardápio. Na segunda, novamente muito movimento, com churrasco acrescido ao cardápio. Levei a família e teve muita festa, se destacando o baile infantil, com as crianças fantasiadas e animadas pelo Louro da Assefaz!


Foram dias cansativos, mas que valeram à pena pela missão cumprida com sucesso.


sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Chá de fraldas da Maria Valentina


Na noite deste 9 de fevereiro de 2018, realizamos um chá de fraldas surpresa para Maria Valentina, filha do Aristeu e da Deyse.



Foi criado um grupo no whatsapp e cada um ia informando o que poderia levar para contribuir, além da fralda é claro.



Foi um momento especial, com brincadeiras, muitos comes e bebes e a alegria no rosto dos pais que não esperavam tão linda homenagem.

Revendo Jumanji: Bem-Vindo à Selva


Revi com as crianças a aventura Jumanji: Bem-Vindo à Selva (Jumanji - Welcome To The Jungle, Estados Unidos, 2016) de Jake Kasdan e percebi novamente o quão divertido o filme é, capaz de prender a atenção de crianças menores (meu caçula de 2 anos e meio), maiores (meu primogênito de 6 anos e meio) e adultos (eu!). Merece a enorme bilheteria que tem alcançado mundialmente.


O filme faz uma bela homenagem ao original Jumanji (1995) e atualiza  a história nessa espécie de continuação onde quatro adolescentes estão literalmente jogando por suas vidas em um videogame cuja ação se passa em uma floresta tropical. Após irem para detenção escolar, eles encontram o jogo e escolhem seus avatares para o desafio, mas um evento inesperado faz com que sejam transportados para dentro do universo fictício, transformando-se nos personagens da aventura. Veja mais comentários sobre o filme aqui.

Segue trailer de Jumanji: Bem-Vindo à Selva:

Meu Amigo Vampiro


Animação europeia baseada nos personagens do romance best-seller O Pequeno Vampiro de Angela Sommer-Bodenburg, Meu Amigo Vampiro (The Little Vampire, Alemanha, Holanda, Dinamarca, Reino Unido, 2017) de Richard Claus e Karsten Kiilerich tem uma premissa interessante, mas entrega uma narrativa cheia de falhas que se torna banal, que sequer merecia lançamento cinematográfico.


A trama conta a história de Rudolph, um vampiro entendiado em seu 13º aniversário pelo 300º ano consecutivo, e cujo clã é ameaçado por um caçador de vampiros que pretende capturá-lo a qualquer custoRudolph decide então iniciar uma ousada aventura: ir para o mundo dos humanos buscar por novidades. Assim ele começa uma amizade improvável com Tony, adolescente humano de 12 anos apaixonado por lendas vampirescas, castelos antigos, cemitériosTony ajuda Rudolph numa batalha contra os seus adversários, cheia de aventura e algumas dentadinhas! Juntos eles vão buscam salvar a família de Rudolph que ficou presa e criam uma grande amizade.

Segue o trailer de Meu Amigo Vampiro:


quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Lady Bird - A Hora de Voar


Comédia dramática adolescente Lady Bird - A Hora de Voar (Lady Bird, Estados Unidos, 2017) de Greta Gerwig é recheada de frescor e emoção ao mostrar as desventuras de uma garota comum de 17 anos e as mudanças naturais (inclusive de personalidade) que ocorrem nessa época, como a escolha da profissão, da universidade, do curso, e questões relacionadas a sexualidade, que levam os jovens a sonhada maturidade, ou a hora de voar, como a tradução nacional propõe.




No filme que se passa no início dos anos 2000, Christine McPherson (Saoirse Ronan) é uma típica menina, que está no último ano do colégio e o que mais deseja é ir fazer faculdade longe de Sacramento, Califórnia, ideia rejeitada por sua mãe (Laurie Metcalf), mas que é capaz de fazer com que Chris se jogue do carro onde ambas descutem. Lady Bird, como a garota de forte personalidade exige ser chamada, não se dá por vencida e leva o plano de ir embora adiante mesmo assim. Enquanto a hora não chega, ela se divide entre as obrigações estudantis no colégio católico, o primeiro namoro, típicos rituais de passagem para a vida adulta como o baile de formatura e os inúmeros desentendimentos com a progenitora.

Lady Bird não é uma garota popular, mas em determinado momento, busca a amizade da garota descolada da escola, uma vez que sua melhor amiga (Beanie Feldstein), que a acompanha comendo hóstia escondido é uma gordinha simpática, mas também uma garota comum. Desde o início fica claro que ela e a mãe não se batem, talvez pelo fato da genitora ser controladora, e se ver obrigada a cumprir uma dupla jornada de trabalho para compensar o desemprego do pai (Tracy Letts), a quem Lady Bird nutre um forte sentimento.

Gostei muito das canções que tocam durante a trama, com grandes nomes do pop e rock, como “Cry me a River” de Justin Timberlake, “Hand in My Pocket” de Alanis Morissette e “Crash Into Me” de David Matthews Band. Destaca-se também o belo trabalho de estreia na direção da atriz Greta Gerwig, a mais uma atuação fantástica de Saoirse Ronan, ambas indicadas ao Oscar, assim como Laurie Metcalf, o roteiro original e concorrendo também a Melhor Filme.

Veja o trailer de Lady Bird - A Hora de Voar:

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Todo o Dinheiro do Mundo


Drama Todo o Dinheiro do Mundo (All The Money In The World, Estados Unidos, 2017) de Ridley Scott, marcado pela troca de papéis de Kevin Spacey por Christopher Plummer, mesmo após as filmagens estarem concluídas, no filme que narra a inacreditável história do sequestro de John Paul Getty III, neto de um magnata do petróleo americano, e a tentativa desesperada de sua mãe para convencer o avô a pagar o resgate.


O filme baseado em acontecimentos reais, se passa na Itália, em 1973 e mostra como se sucedeu o sequestro do jovem de 16 anos, John Paul Getty III (Charlie Plummer), neto favorito do magnata do petróleo americano Jean Paul Getty (Christopher Plummer), um dos primeiros bilionários da história da humanidade. Desesperada a mãe de John, Gail Harris (Michelle Williams), pediu ajuda financeira ao avô do menino, um homem frio, manipulador e mesquinho, que encarrega o ex-espião Fletcher Chase (Mark Wahlberg), seu homem de confiança, para descobrir quem e o que está por trás do crime, solucionando o problema sem o desperdício de nenhum centavo de sua fortuna.

Os sequestradores então decidiram enviar à imprensa uma orelha do menino para obrigar a família a acelerar o pagamento do resgate, que de início era 17 milhões de dólares e no fim das contas, depois de muitas negociações, saiu por 3 milhões de dólares.

O grande problema do filme é seu roteiro detalhista demais. Um exagero de David Scarpa, baseado no livro de John Pearson, que apesar das adaptações dramáticas necessárias, se ateve demais aos mínimos eventos do caso, chegando a ser um pouco cansativo acompanhar o desenrolar dos fatos. A fotografia também é irregular, alternando entre sombia em alguns momentos e saturada em outros. O figurino e a direção de arte estão corretos, mas o desespero da mãe não é tão notório, à ponto de não à vermos derramando uma lágrima sequer.


Acompanhe o trailer de Todo o Dinheiro do Mundo:

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

O Jovem Karl Marx


Histórico O Jovem Karl Marx (Le Jeune Karl Marx, 2016) de Raoul Peck é uma aula de sociologia na sala escura, com uma trama que acompanha Karl Marx, Friedrich Engels e Jenny, mulher de Marx, na juventude, entre Paris, Bruxelas e Londres, até a publicação de O Manifesto Comunista em 1948. 

O filme inicia quando Marx (August Diehlparte para um exílio na França, em 1844, com sua esposa Jenny. Marx, com então 26 anos, conhece  Engels (Stefan Konarske), num encontro de dois teóricos que viriam a ser pilares de uma corrente de pensamento que perdura até hoje. Friedrich Engels, filho de um industrialista que investigou o nascimento da classe trabalhadora britânica. Engels oferece ao jovem Marx a peça que faltava para completar a sua nova visão de mundo. Entre a censura e a repressão, os tumultos e as repressões políticas, eles lideram o movimento operário em meio a era moderna.


Vemos nos filme alguns filósofos como Bakunin, Proudhon, Ruge e Weitling. O filme acompanha a dupla até o lançamento de “O manifesto comunista”, em 1848. Nos créditos finais, com imagens do século XX, ouvimos uma trilha sonora de Bob Dylan cantando Like a Rolling Stone, que dá a entender que a intenção do filme era mostrar como o espectro daqueles jovens segue atual, especialmente no Brasil, onde a classe trabalhadora é mais oprimida do que nunca, ainda mais com o golpe ainda em curso que que aniquilar o Partido dos Trabalhadores.

Segue trailer de O Jovem Karl Marx:

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Paddington 2


Animação em CGI Paddington 2 (Reino Unido, França, 2017) de Paul King é a continuação de  As Aventuras de Paddington (Paddington, 2014) de Paul King e vale por nos levar a Londres num passeio cheio de aventuras, bondade e senso de comunidade com esse cativante urso.



Após ser adotado pela família Brown em As Aventuras de Paddington (Paddington, 2014) de Paul King, o urso Paddington se torna muito popular em Windsor Gardens. No aniversário de 100 anos da tia Lucy e ele precisa da ajuda de todos na procura do presente perfeito. Ele encontra então um livro único na loja de antiguidades, mas o livro é roubado. Paddington e sua família, então, fazem de tudo para descobrir o ladrão e recuperar o livro que guarda um grande segredo.


Diante da necessidade de comprar um livro pop-up para sua tia, o protagonista atrapalhado busca trabalhar como barbeiro, posteriormente como limpador de janelas, mesmo para aqueles que não tem como pagá-lo. O livro acaba sendo roubado e Paddington é condenado e preso pelo crime que não cometeu. Para provar sua inocência, ele transforma a prisão com atos de bondade apesar de deixar as roupas acidentalmente rosa, num cenário ao melhor estilo Wes Anderson, com Brendan Gleeson interpretando um cozinheiro rabungento que amolece ao saborear a marmelada de Paddington. Assim, vão se sucedendo cenas repletas de bom humor e com bom uso do CGI, até o clímax numa perseguição de trem.

No elenco, temos  Imelda StauntonMichael GambonJim Broadbent e Peter Capaldi em papéis coadjuvantes e/ou como meros dubladores na versão original. Temos também Hugh grant como o vilão Phoenix, além de  Hugh Bonneville e a premiada Sally Hawkins (indicada ao Oscar 2018 por A Forma da Água) que dão simpatia a família Brown, ao qual Paddington faz parte. A dublagem brasileira de Bruno Gagliasso é infinitamente melhor que a anterior de Danilo Gentili e Márcio Garcia também atua como o bom dublador que sempre é.


Confira o trailer de Paddington 2:

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Chá de fraldas do Bernardo!



Na tarde desse 3 de fevereiro de 2018, estivemos no chá de fraldas do Bernardo, realizado na creche Petit.

Teve música ao vivo com lindos louvores sendo entoados, além de uma cancao composta para o Bernardo.

A decoração belíssima, que combinava com o ambiente repleto de animais, salgados, pães e bolos, além de suco e refrigerante.

A Mariana conduziu os momentos de brincadeiras e foi muito engraçada, roubando a cena involuntariamente. Foi uma tarde maravilhosa.

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Grupo de Relacionamento na minha casa!


Nesta sexta, 02 de fevereiro de 2017, nos reunimos como Grupo de Relacionamento na minha casa!

Comemos uma saborosa macarronada, louvamos com as crianças, que ficaram com a Mariana lá em cima, enquanto continuamos louvando na garagem. Meditamos num texto de I Pedro 1:6 e 7 Em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações, Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo;

Houve momento para partilha, orações e conseguimos cumprir o horário de encerrar as 22h! Foi mais uma reunião maravilhosa, cheia da presença de Deus, que ainda contou com a presença da Simone e do seu filho Tony, bem como do casal Lucas e Beatriz, que vieram de Resende para Fortaleza.



quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

A Forma da Água



Fantasia com 13 indicações ao Oscar, A Forma da Água (The Shape of Water, Estados Unidos, 2017) de Guillermo Del Toro, que é um exímio contador de histórias, mas que apresenta aqui um conto de fadas ambientado nos Estados Unidos na época da Guerra Fria. Não chega nem perto da qualidade do fabuloso O Labirinto do Fauno (El Laberinto del Fauno, México/Espanha, 2006), mas o Oscar tem dessas de premiar filmes posteriores menores...

Durante a década de 1960, no laboratório secreto e de alta segurança do governo, em meio aos grandes conflitos políticos e as transformações sociais ocorridas nos Estados Unidos, Elisa (Sally Hawkins), zeladora em uma base secreta do governo, que funciona como laboratório experimental comandado pelo doutor Hoffstetler (Michael Stuhlbarg)Sua vida muda para sempre quando ela e a colega Zelda (Octavia Spencer) descobrem uma experiência secreta e acaba se afeiçoando com a criatura fantástica mantida presa no local, um homem anfíbio (Doug Jones) que é mantido em cativeiro. 




A história narrada em tom de poesia, é protagonizada por uma "princesa sem voz", como bem afirma o narrador. E quando Elisa se apaixona pela criatura capturada nos confins da América do Sul, ela elabora um plano para ajudá-lo a escapar com a ajuda de seu vizinho e melhor amigo Giles (Richard Jenkins), pois os norte-americanos decidem usar a criatura como cobaia na corrida espacial, é quando o agente policial moralista e sádico Strickland (Michael Shannon).




A fotografia de Dan Laustsen, tem um tom azul esverdeado que chama atenção. Octavia Spencer está ótima como alívio cômico, mas já fez papéis melhores. Sally Hawkins dá um show de interpretação sem usar sua voz. A direção de arte de Paul D. Austerberry se destaca localizado acima de um velho cinema, daqueles com estrutura de anfiteatro. Na trilha sonora, vemos até obras de Carmem Miranda. O roteiro escrito por Del Toro ao lado de Vanessa Taylor (Game of Thrones) é coerente, mas infelizmente não me fisgou, talvez por eu ser normal...




Vencedor do Festival de Veneza 2017, cativa talvez aqueles que sejam incompreendidos, ou que tenham seus desajustes e devaneios. Não embarquei na proposta do filme, e me surpreendeu o tom erótico deste filme que tem uma bela cena inicial, e ainda encontra espaço para homenagear o cinema de rua que é literalmente inundado com a fantasia proposta pelo longa.


Veja o trailer de A Forma da Água:

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Suburbicon - Bem-vindos ao Paraíso



Comédia de humor negro Suburbicon - Bem-vindos ao Paraíso (Suburbicon, Estados Unidos, 2017) de George Clooney, com roteiro de Grant Heslov, Joel e Ethan Coen e do próprio Clooney, faz uma crítica implícita a sociedade americana, evidenciada nos discursos de Donald Trump, que só se preocupa em segregar, erguer muros, enquanto pratica carnificina pensando apenas no lucro. Não me envolvi tanto com a trama, mas percebi as indiretas lançadas.


Suburbicon, 1959. O local é um típico arquétipo da comunidade calorosa, próspera e acolhedora, com casas organizadas e confortáveis, sendo um lugar perfeito para viver em família e um símbolo do american way of life. A tranquilidade local é abalada quando uma família de negros (a primeira do subúrbio), os Myers, compra uma casa na região e é recebida com hostilidade pelos demais moradores. Vemos então, na visão de uma criança (Noah Jupe), uma invasão domiciliar se tornar mortal, e a família aparentemente perfeita de Gardner Lodge (Matt Damon) se submete à chantagem, vingança e traição, gerando um rastro de sangue que mancha o suposto paraíso, pois por trás da suposta tranquilidade, há uma perturbadora realidade que inclui traições, complôs, violência e vingança.


O roteiro dos irmãos Joel e Ethan Cohen apresenta os atores Matt Damon, Julianne Moore e o pequeno Noah Jupe (o Jack de Extraordinário) como uma família dos anos 50, moradora do subúrbio, e que é vítima de uma invasão doméstica. O ator Oscar Isaac também faz parte do elenco, na pele de um investigador. Apesar das referências, o filme nem de longe lembra os clássicos dos irmãos Coen. Assim, a trama segue num clima de mistério de um crime envolvendo uma família durante a década de 50, em que o melhor e o pior da humanidade é refletido através dos atos de pessoas aparentemente comuns. 



Segue trailer de Suburbicon - Bem-vindos ao Paraíso:

domingo, 28 de janeiro de 2018

Reunião de Serviço Time de Servos

Na tarde desse sábado chuvoso, após a sessão de Peixonauta - O Filme, fui com a família para reunião de serviço do Time de Servos do Geração Futuro.
Foi servido um lanche delicioso, e tratamos sobre assuntos relacionados ao semestre 2018.1



sábado, 27 de janeiro de 2018

Peixonauta - O Filme


Animação Peixonauta - O Filme (Brasil, 2016) de Célia Catunda, Kiko Mistrorigo, Rodrigo Eba! surpreende com sua simplicidade de fazer cinema para crianças pequenas e chama atenção por ser apresentado com áudio descrição, proporcionando aos surdos uma experiência cinematográfica digna. Destaca-se a metrópole animada apresentada na trama, inspirada em São Paulo.

Na trama, Doutor Jardim e os primos Pedro e Juca não retornam de uma visita à cidade, e Peixonauta, Marina e Zico partem então do Parque das Árvores Felizes para resgatá-lo. Quando chegam lá, algo muito estranho está acontecendo: todos os habitantes da cidade sumiram. Para conseguir solucionar esse grande mistério, Peixonauta terá que contar com a ajuda da O.S.T.R.A. (Organização Secreta para Total Recuperação Ambiental) e de todos seus amigos para solucionar a sua mais importante missão e viver sua maior aventura, pela primeira vez, na cidade grande!


Após investigarem melhor, percebem que as pessoas não sumiram, mas sim encolheram. Intrigados e correndo contra o tempo, Peixonauta e seus amigos precisam desvendar a causa do fenômeno e salvar a população do desaparecimento completo. A edição e roteiro apresentam alguns problemas grotescos, como uma bebê que simplesmente passa a fazer parte da trupe.

A animação apresenta valores de amizade e consciência ambiental com muita música, colorido, interação e os conhecidos personagens da série exibida há quase dez anos no Discovery Kids. Destaco o excelente trabalho dos dubladores Fabio Lucindo (Peixonauta), Fernanda Bullar (Marina) e Celso Alves (Zico) e as canções originais de Paulo Tatit, Titãs e Zezinho Mutarelli.

Veja o trailer de Peixonauta - O Filme:

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Aniversário tia Sandra Puia

Na noite dessa sexta, 26 de janeiro, nos reunimos para celebrar mais um ano de vida da tia Sandra.
Teve dois bolos deliciosos, salgados e refri. Fizemos a festa!
Os irmãos, sobrinhos, neto, todos compareceram... Desejo muita saúde e paz para tia amada.

Compartilhar